OS ANJOS E OS CRISTAIS

Em 20/08/2019 ,

Os cristais e as gemas têm sido utilizados há milhares de anos para decoração, joalheria, cura, magia e cerimonias religiosas. Eles são os exemplos mais organizados e estáveis da matéria física no mundo natural e representam o estado menos elevado de entropia (desordem) possível.

Conforme foi mostrado em aula, todas as estruturas cristalinas tem uma combinação tridimensional de átomos matematicamente precisa. É essa estrutura atômica que confere um alto nível de estabilidade ao cristal, além de lhe conferir cores únicas, dureza e propriedades físicas, geométricas e energéticas sutis.

As gemas e os cristais têm uma capacidade impressionante de absorver, armazenar, refletir e irradiar luz na forma de campos inteligentes de energia estável que aumentam o fluxo de força vital dentro do corpo físico humano e do corpo sutil. Aplicando essa energia estável ou ressonância cristalina, de maneira focalizada e coerente, em sistemas energéticos disfuncionais, eles restauram a estabilidade e o equilíbrio.

ENTRANDO EM SINTONIA COM O CÉU ATRAVÉS DOS CRISTAIS

Os cristais nasceram no útero da Mãe Terra, que lhes confere uma aura única de mistério e magia. Eles nunca perdem a cor, o brilho, a beleza ou o valor, e para muitas civilizações antigas isso lhes conferia a ligação com o mundo espiritual e celestial.

De acordo com as evidencias, a utilização de gemas na joalheria remonta pelo menos à Era Paleolítica. Talvez os primeiros relatos escritos da cura com o cristal procedam dos antigos egípcios, que tinham receitas detalhadas de como usar as gemas, como a malaquita, para a cura.

Ainda temos o conhecimento escrito dos estudiosos do Ayurveda e do Tantra, originários da Índia, que conheciam o potencial impressionante das pedras preciosas. Elas eram “prescritas” para proteger contra influencias planetárias negativas, e eram usadas em joias ou ingeridas na forma de pastas ou óxidos, para influenciar a aura ou tratar os nervos, o sistema linfático e os nadis (canais por meio dos quais flui o prana).

Os cristais são mencionados muitas vezes na Bíblia, e nos círculos metafísicos acredita-se que certos cristais tenham uma sintonia natural com o reino angélico. Essa sintonia é devida á sua cor, aparência angélica ou nomes como angelita ou celetista. Também pode ser consequência da sua altíssima ressonância, que sintoniza naturalmente seu portador com os reinos espirituais mais elevados.